Tsurune #13|Impressões Finais

Quero me desculpar por ter atrasado tanto. Fiz algumas besteiras e esse texto foi maior do que eu esperava. 

Chegamos ao último episódio e foi emocionante! Kazemai e Kirizaki chegam juntas na final e tem uma batalha empolgante e bela ao mesmo tempo! Mas como sempre, consideremos as coisas na ordem certa.

Tivemos mais um flashback deles crianças. Dessa vez, reforçando a relação entre Shu e Minato. É bonito ver esse misto de rivalidade e amizade profunda que eles tem, principalmente do Shu para Minato. Sua conversa com o Seiya também foi interessante! Shu parece se surpreender com uma nova perspectiva. Ao invés de rivais, por que não parceiros? Particularmente, não acho ruim eles continuarem dessa forma, mas ver eles se juntarem é bem desejável!

Minato corresponde aos sentimentos do Seiya, porém, ao que tudo, em menor intensidade. A questão é que ele tinha se distanciado de seus amigos, tanto que no primeiro episódio demonstrou uma atitude não muito amigável com o Seiya ao rejeitar a toalha. Mas, pelo menos eles estavam estudando juntos, enquanto o Shu não, ou seja, não teve oportunidades para se reaproximarem. Ainda assim, Minato leva a sério o que Shu disse e parece querer assumir esse papel de amigo rival.

Chegamos ao momento da disputa! Normalmente, para muitos esse esporte seria monótono, entretanto, a direção desse anime manda muito bem em embelezar os tiros e deixa-los emocionantes. Isso ela já fez desde o começo, mas nesse episódio teve algo a mais. O apego com os personagens te faz torcer por eles e isso te deixa tenso! E para contribuir com isso, além de ter sido acirrada, temos o fator de que apesar deles serem ótimos arqueiros, não são exagerados, nem overpowers. Então existe aquele medo real de que podem perder. Mas, existe um elemento que colocaram unicamente para balancearem os dois times. E ele é um dos irmãos gêmeos.

Minato previu que um deles desenvolveria pânico do alvo e foi dito e certo! Lembram-se do que eu disse há alguns episódios atrás? Quando o arqueiro aprende uma técnica errada achando que está certa e começa a errar, isso o leva ao desespero e por fim desenvolve o pânico. É exatamente o que aconteceu. Agora que está desse jeito, a zombaria do seu irmão não tem mais tanta graça. Afinal, é como se fosse direcionado a ele.

No fim das contas, o propósito desses gêmeos era só esse. A não ser que resolvam fazer uma segunda temporada, em que eles tenham mais relevância.

A competição foi incrível! Como eu disse, a direção é muito boa em passar emoções em “simples” tiros de flecha. Cada capricho visual e sonoro embelezam as cenas de formas magníficas. Até as garotas de fundo gritando para o Nanao ajudam. É lindo como se alguns desses caprichos, junto com a narração de Minato, estivessem exibindo as suas formas finais e brilhos após meses de lapidação! Kacchan até conseguiu realizar seu desejo com o arco girando.

O time inimigo também um destaque legal que os deixam esplêndidos. Outro ponto, é o tiro do Shu que assusta as meninas, realmente é intimidador e isso é possível através da intensificação do som.

Minato está agora, se não totalmente, praticamente no seu 100%. O seu objetivo sempre foi alcançar um belo tsurune. E ele conseguiu! Talvez já tenham percebido e acho que nunca contei para vocês, mas todos os sons de tiros são diferentes. A staff do anime foi até as escolas gravarem cada um (você vê isso nessa entrevista). O tiro do Minato em que todos ficaram impressionados, foi mais diferente ainda. Foi de fato,um belo som!

E por fim, o momento do tiro final foi a cena mais linda do episódio! Percebam pelas imagens abaixo que fizeram um paralelo com o primeiro episódio. Maravilhoso demais!

Acabou que Shu errou o último tiro com a justificativa de que não estava olhando para o alvo. Até que faz sentido porque mais cedo ele falou que não ser preocupava muito em vencer. Creio que o mais importante para ele, é simplesmente poder atirar, especialmente junto do Minato. Isso não me convence muito, porque ele parecia estar se esforçando bastante para quem não estava focado em vencer. Entretanto, pode ser que ele tenha errado por ter se surpreendido com o tiro do Minato, pelo menos é o que aparenta. Logo depois da competição, ele fala algo para ele, acho que está dando parabéns, não sou bom em leitura labial e muito menos em japonês.

Pulando para as cenas pós-créditos antes de comentar o que seria a mensagem principal do anime, tenho que confessar não consegui compreender muito bem o diálogo. Aparentemente, o vô do Masa o treinava daquele jeito para que fosse como ele e no fim, se elogiar ou se gabar. Masa parece mais conformado agora, mas sinceramente, não sinto que o desenvolvimento dele foi bem fechado. Talvez só tratem isso numa continuação, também pode ter na novel. Sobre o Minato dizer que tudo ocorre por uma razão, só posso dizer que não acredito em destino.

Nos pensamentos do Minato, temos uma constatação importante, o verdadeiro sentido de competir em equipe no kyudô. Apesar de não ter a colaboração entre os membros como em outros esportes, ainda vemos como eles podem se ajudar. O anime quer passar uma analogia entre o kyudô e amizade, em ambos, todos temos defeitos, não dá para ser 100% perfeito, mas quando são unidos cada um ajuda o outro, mesmo que tenham objetivos diferentes (analogia do montanhismo de novo). No nosso caminho na vida, iremos tropeçar, cair e nos machucarmos, porém quando temos amigos, temos alguém para nós levantar e cuidar de nossas féridas. Ninguém jamais será capaz de ser totalmente independente, então lembrem-se de não tentarem resolverem tudo sozinhos.

É muito gratificante ver o nível de amizade em que eles chegaram. Essa simples cena deles comemorando me deixa com um sorrisão na cara! Foi ótimo acompanhar Tsurune e ver a evolução dos personagens junto com vocês. Com certeza, um dos melhores animes do ano! Três de março lançarão um OVA, fiquem ligados que eu trarei uma análise dele também!

5282f255-220d-45cc-aaa1-01124443c13f

Considerações finais

Tsurune é um ótimo exemplo para mostrar que não precisa ser inovador ou sem clichês para ser uma boa obra, o que importa é ser bem executado. Em quesitos de animação, pode não ser o melhor da KyoAni, mas é lindíssimo.

Uma das principais quantidades é como ele é incrível em passar os sentimentos dos personagens. Personagens esses que são excelentes e carismáticos (exceto os gêmeos), mesmo alguns sendo apenas recursos de roteiro.

O kyudô pode ser para muitos algo monótono, mas graças a direção, que é quase impecável, com caprichos visuais e sonoros, o esporte se torna bastante belo e emocionante! Chega a ser poético!

É claro que também tem defeitos e eu diria que o principal é que ele entrega algumas informações na hora errada. Graças a isso, alguns momentos ficam parecendo que exageraram no drama, para só depois entendermos que o poço era mais fundo.

O ritmo do anime é lento, entretanto isso não é ruim. Tudo acontece de forma natural e não há sensação de enrolação ou de ser arrastado.

O anime fechou bem, mas ainda tem o que ser explorado e alguns pontos em aberto. Isso não necessariamente é um defeito, porque a novel ainda está em lançamento.

As mensagens que ele carrega são lindas e valem a pena você levar para a sua vida. O quão profundo ele é, junto com tudo que falei, o torna uma obra memorável. Foi sem dúvidas, um ótimo tempo gasto! Até a próxima!

Nota final: 9/10

Extra

Cena do primeiro episódio. Sim, ele estava lá o tempo todo.

Screenshot_20190209-011023_Crunchyroll

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.